Candidata já chegou a dormir na rodoviária para participar do concurso

SONY DSCSONY DSC
Contratar carro de som, dormir na rodoviária são algumas das loucuras que as candidatas a Rainha do Carnaval de Salvador já fizeram para tentar se eleger. Laiana Bispo do Rosário, 22, representou bem esse papel. Moradora de Serrinha, a 200 km de Salvador, ela viajava de ônibus à capital baiana para participar de todas as etapas do concurso.

Em uma dessas viagens ela perdeu o transporte com destino a Camaçari, Região Metropolitana, e a única solução foi dormir na rodoviária, em vez de ficar na casa dos parentes. “Mas eu não me arrependo e faria tudo de novo, pois adoro participar desses concursos. Eu já participei de uns sete até hoje”.

A relação de Laiana com os concursos é de vitórias e derrotas. O melhor de todos os resultados foi a eleição de musa Peróla Negra de Serrinha, quando tinha apenas 17 anos. Em 2010 e 2011, ela tentou ser a Rainha do Carnaval de Salvador, sempre se classificando entre as 12 finalistas. “Esse era na realidade o meu grande sonho, pois gosto muito de carnaval”, disse a agora comissária de bordo e estudante de Engenharia.

Vencedora do concurso na internet assegura vaga de princesa

Com votação na web pelo terceiro ano consecutivo, o Concurso Rainha do Carnaval de Salvador terá uma novidade em 2012. A vencedora da enquete no site oficial da competição garantirá automaticamente uma vaga entre as princesas da folia.

De acordo com o organizador do concurso, Gorgônio Loureiro, isso não anula a possibilidade da candidata ser rainha. “Caso a mais votada seja eleita pelo júri, a princesa será a segunda colocada na votação da internet”, disse.

Concurso Rainha do Carnaval de Salvador ganha site exclusivo

musas620musas620
Depois do grande número de acessos e sucesso em dois anos de votação no site oficial de verão da Bahiatursa, o Concurso Rainha do Carnaval de Salvador agora ganha uma página exclusiva. Produzido pela equipe do Fórum Internacional de Comunicação de Ecologia e Turismo (Ficet) que também é proprietário dos seus direitos de realização do concurso, o site www.rainhadocarnavalsalvador.com.br traz seções como o histórico da competição mais charmosa da folia baiana e também entrevistas, fotos e seções especiais.

Este ano, o concurso homenageia as Mulheres de Jorge Amado e a idéia dos organizadores é fazer uma votação com as 12 candidatas classificadas para a final. “Teremos páginas individuais de cada candidata, com seu perfil, fotos etc. Uma grande novidade em relação aos anos anteriores, será que a candidata mais votada terá a eleição assegurada como segunda princesa”, afirma Gorgonio Loureiro, organizador da eleição.

Loureiro lembra ainda que a Rainha, junto com o Rei Momo, ainda são os maiores ícones do Carnaval, “representando a alegria que a festa traz para a população”.

Entre os entrevistados do site estão carnavalescos, socialites e outros personagens ligados à folia. “Neste site, vai ser mostrada a importância que este concurso tem para o carnaval através de fotos,filmes, depoimentos de quem fez e dele participou”, conclui.

Estilista Di Paula destaca o figurino do Concurso Rainha do Carnaval

O tradicional Concurso Rainha do Carnaval de Salvador, que este ano traz como tema As Mulheres de Jorge Amado, é um evento que faz parte do calendário da festa momesca e envolve diversos profissionais.

E o estilista Di Paula é uma das principais personagens que ajudam a dar brilho e deixar as candidatas ainda mais elegantes e charmosas, com modelitos feitos sob medida e sempre inspirados no tema do Carnaval.

Há mais de vinte anos participando de todas as etapas do concurso, desde a inscrição até a escolha da vencedora, Di Paula conta que o evento já passou por várias fases, tendo épocas de muito glamour em que as candidatas desfilavam até de vestidos longos.

Além do figurino, o estilista também orienta as candidatas como se comportar, falar ao público, dar entrevistas e ressalta que elas, durante seis dias, são as anfitriãs da cidade, juntamente com o Rei Momo.

Isso requer pré-requisitos básicos como agir com desenvoltura, saber se relacionar com o público, dançar, ser sensual sem ser vulgar e, acima de tudo, gostar de Carnaval, “claro, né?”. Estas são algumas das orientações passadas pelo estilista para as mulheres que pretendem reinar na folia em 2012.

O estilista adiantou que vai se debruçar na personagem de Dona Flor para criar os figurinos, considerando ser esta uma das personagens de Jorge que envolve sensualidade com classe e elegância.

A proposta é permitir que as vencedoras desfilem durante o Carnaval com os trajes da personagem que povoa o imaginário dos admiradores do escritor e conviveu em um lugar símbolo da capital baiana, o Pelourinho, que inclusive é um dos circuitos do Carnaval.

Concurso tem apoio da sociedade baiana


O Concurso Rainha do Carnaval também seduz socialites e artistas, como é o caso de Juca Lisboa e Nair Carvalho, que o acompanham há vários anos, já foram até juradas do evento e vêem nele um símbolo do Carnaval, assim como o Rei Momo.

Socialite Juca Lisboa. Foto: Acerto Pessoal

De acordo com a socialite Juca Lisboa, essa tradição faz parte das festas momescas e não deve deixar de existir, considerando que já é uma tradição. E sobre aqueles que “torcem o nariz” para o concurso ela diz que as rainhas fazem parte do Carnaval e é um evento criado junto com os bailes carnavalescos, quando a festa ainda possuía  outra configuração.

Como já foi jurada, Juca Lisboa pontua que dentre as características que ela observava nas candidatas estava a maneira de se comportar e a forma elegante sem vulgaridade das possíveis rainhas durante o desfile.

A artista plástica Nair Carvalho explica  que o Brasil tem essa tradição de reisados, e de lá vieram também os reis e rainhas do Carnaval. Ela ressalta que gosta muito do evento e lembra dos tempos de glamour do concurso.    Para Nair Carvalho, as candidatas neste período são as embaixadoras de Salvador e por isso mesmo têm que ter responsabilidade para representar bem a cidade.

Uma vez que elas vão dar entrevistas, estar nos trios e Camarotes, “enfim, em contato direto com o público, principalmente os turistas”.

Artigo – Edmundo Viana fala sobre o Concurso Rainha do Carnaval

Conheci a escolha da rainha do carnaval e suas princesas ainda adolescente, este evento foi criado pela revista Única, que por sinal era a única revista de Salvador na década de 50. A revista pertencia ao jornalista Amado Coutinho que acumulava também a função de presidente do clube comercial , até hoje existente na Avenida Sete. O clube comercial promovia bailes carnavalescos e seu presidente realizava a escolha da rainha do carnaval e suas princesas que desfilavam durante os dias de Carnaval nos carros alegóricos ricamente decorados que abrilhantavam o Carnaval do Campo Grande a Praça da Sé, carros estes que pertenciam aos clubes fantoches da Euterpe, Cruz Vermelha, inocentes e progressos, cavaleiros da liberdade, dentre outros.

O evento Rainha do Carnaval continuou firme quando a ABCC – associação Bahiana dos Cronistas Carnavalescos – constituída dos cronistas dos principais jornais, promoviam anualmente o concurso, destacando o jornalista Moacir Nery que durante anos não deixou a tradição e a historia do evento cair no ostracismo, muito pelo contrario, ano a ano alcançava mais brilho. A eleição da rainha do carnaval acontecia nos clubes sociais mais populares de salvador, como o Flamengo de Periperi, Esporte Clube Periperi, o já extinto Piatã Clube, Campomar, Cabana da Barra e até mesmo no teatro Vila Velha.

A cada ano aumentava o sucesso do concurso que era abrilhantado por patrocinadores de peso, como a loja Duas Américas, o maior magazine da cidade que promoviam gritos de carnaval na rua Chile. O concurso rainha do carnaval é um marco na historia do carnaval baiano.
Depois da ABCC, o evento foi assumido por Gorgônio e, graças a ele, a história deste concurso marcante continua, pois ela é indispensável para o carnaval baiano.    
 

Ex-candidata relembra de participação em concurso

SONY DSCSONY DSC
Hoje com 30 anos, a modelo Adriana Araújo relembra com carinho da sua participação no Concurso Rainha do Carnaval, em 2010, quando foi uma das finalistas. Apesar de não ter sido eleita, ela dá a receita para obter um bom resultado na eleição. “Tem que ser simpática, carismática, bonita e acima de tudo samba no pé”, afirma.

Ela lamenta que a regra adotada somente em 2012, onde a vencedora da web assegura uma vaga de princesa, não tenha sido válida no ano em que participou. “Acho que naquele ano, o júri foi injusto, mas fazer o que né? Se a internet tivesse o peso de hoje, o resultado seria outro.

Em entrevista ao site oficial do concurso, a gata falou ainda sobre a sua preferência quando o assunto é relacionamento. “Gosto dos românticos, mas os rudes de vez em quando é bom. Se for um romântico com pegada, melhor ainda… (risos)”. Ela completa dizendo que o parceiro precisa cavalheiro, mas acima de tudo, sincero.

Sobre o gosto musical, ela se declarou bastante eclética. “Gosto muito de MPB, mas não deixo de curtir o meu pagodão”.